Tenha uma boa noite! Hoje é Sábado, dia 24 de Setembro de 2022. Agora são 22:46:54 hs

CAOS NO CEE GOIÂNIA

Os dias tem sido difíceis para os trabalhadores (as) do CEE Goiânia, já a tempos que o SINTECT-GO vem denunciando a situação precária e de sobrecarga de trabalho que os trabalhadores (as) desta unidade vem sendo expostos, assim como, as posturas assediadoras e autoritárias que tem sido tratados.
São problemas recorrentes que não se resolvem: ameaças de tirar função, passar processos administrativos, transferências compulsórias, como já ocorreu e que a SE/GO finge que não vê, finge estar tudo bem. O problema é que não está tudo bem. O CEE Goiânia virou uma “panela de pressão” pronta para explodir a qualquer momento. Os trabalhadores (as) não suportam mais trabalhar debaixo de tanta pressão, humilhação e autoritarismo e estão adoecendo física e psicologicamente.
A ordem no CEE é para que os trabalhadores (as) lancem uma quantidade exorbitante de objetos, muito acima do que é dimensionado, aliás, fala-se na Unidade de que não existe mais quantidade dimensionada a ser lançada, tendo casos, inclusive, de carteiro lançar mais de 400 objetos, o que é humanamente impossível de ser entregue. Na teoria, segundo a gestão fala, não haverá punição em casos de restos, porém na prática há muita ameaça de passar processo administrativo e pressão psicológica. Fatos já denunciados e cobrado respostas e esclarecimentos via ofício por este Sindicato, porém sem resposta.
Desde que o novo SE assumiu com rompantes de “boa praça”, passeando pelas unidades, dando a entender que traria uma nova lógica para as relações de trabalho dentro da SE/GO baseadas na humanização dessas relações e no respeito ao próximo, não é o que ocorre, pois as velhas práticas de truculência e arrogância só aumentaram. A nova Superintendência Estadual não recebe o Sindicato para discutir questões mínimas de condições de trabalho e reproduz fielmente a ordem bolsonarista ameaçando, inclusive, de retirar funções de quem tiver contatos com o Sindicato.
O SINTECT-GO repudia a postura dessa gestão bolsonarista e conclama todos os trabalhadores (as) do CEE Goiânia e de todas as unidades em Goiás a transformarem toda essa indignação e desrespeito que tem sofrido em sua condição humana em luta para se organizarem e darem a resposta numa grande greve nacional, por tempo indeterminado, a partir das 22 horas de 31 de agosto. Contra tudo isso colocado e por melhores condições de trabalho e vida! Por mais respeito e um ambiente de trabalho saudável, greve neles! Vamos juntos virar esse jogo! Juntos somos mais fortes!

# 25 de agosto assembleia de indicativo de greve!
# Abaixo ao autoritarismo!
# Não ao assédio moral!
# Abaixo o nepotismo!
# Fora Floriano Peixoto e toda a gestão bolsonarista!

Diretoria Colegiada
SINTECT-GO

Leia mais ...

CTCE: CAOS! SOBRA CHEFE E FALTA PLANEJAMENTO!

Na SE/GO a bagunça está generalizada! Trabalhador sendo humilhado, assediado nas unidades, Covid-19 bombando nos locais de trabalho e a empresa mentindo que cumpre seu protocolo (semanas pra fazer uma desinfecção, quando faz!) e um monte de chefes ditos técnicos e outros indicados políticos apoiadores deste governo privatista fingindo que estão fazendo algo. Agora é a vez do CTCE Goiânia!
Segundo relatos, o mês de dezembro foi o caos! Faltou de tudo, desde planejamento, material de trabalho só o que não faltou foi sobrecarga de trabalho com Black Friday, FNDE, Enem, Papai Noel dos Correios, compras de fim de ano que geraram mais encomendas. Não havia empilhadeiras, paleteiras, nem espaço para lidar com o turbilhão de cartas, encomendas, livros, provas, brinquedos e outros mais.
Inúmeras dificuldades que já existiam na unidade, como a falta de padronização de serviços e a falta de ambientação de funcionários terceirizados, foram somadas a várias outras como, arrombamento de armários nos vestiários, a falta de recebimento do Adicional de Atividade dos trabalhadores (as) que retornaram do afastamento, sem contar o descumprimento de medidas sanitárias contra a Covid-19, que acaba sendo praticado pela maioria dos trabalhadores (as), concursados ou não, e também pelas chefias que não dão o bom exemplo e nem exigem dos funcionários o cumprimento das medidas. Existem vários cartazes de instrução, álcool em gel em vários pontos, máscaras foram distribuídas, mas não são utilizados corretamente ou muitos nem usam.
Além de tudo, uma enorme empilhadeira batizada como “trambolhão” foi contratada para as operações de fim de ano e ainda está lá parada, ocupando espaço e, na verdade, ela não serve para ser usada, pois é maior que a geralmente é usada para os tipos de carga no CTCE. Até hoje não se sabe ao certo o que levou a contratação de um equipamento que só serve para trabalhar na construção da Usina de Belo Monte ou na construção da Ferrovia Norte-Sul.
Até quando os trabalhadores (as) do CTCE vão ter que aturar tanta desorganização e uma falta de estrutura que torna a todos desmotivado em suas rotinas? Até quando a desorganização, a sobrecarga e o assédio moral vão continuar transformando o ambiente de trabalho em um caos generalizado?

Diretoria Colegiada
SINTECT-GO

Leia mais ...
Assinar este feed RSS