Tenha uma boa noite! Hoje é Sábado, dia 24 de Setembro de 2022. Agora são 22:23:00 hs

Assembleia Campanha Salarial: Vamos juntos lutar contra todos os ataques em mais uma tentativa de retirada de direitos!

O SINTECT-GO convoca todos os trabalhadores (as) dos Correios em Goiás a participarem da Assembleia Geral Extraordinária para avaliação da Campanha Salarial 2022/2023 e da proposta apresentada pela ECT na reunião de negociação coletiva da última terça-feira. A Assembleia ocorrerá de forma presencial em frente à Central dos Correios, na Praça Cívica, em Goiânia, no próximo dia 21 de Julho, com primeira chamada às 19 h e segunda chamada às 19h30.
Após mais uma rodada de negociações, a ECT continua lançando o seu pacote de maldades, não se importando com as reivindicações dos trabalhadores (as) e, ainda por cima, propondo outras alterações em cláusulas já estabelecidas na sentença normativa, além de eliminar direitos.

Segue as propostas da empresa que foram apresentadas na reunião:
• Reajuste no Salário, de 20% do IPCA (aproximadamente 2,4%);
• Não reajuste nos benefícios (VA/VR);
• Exclusão da Cláusula 27 (Responsabilidade Civil em Acidente de Trânsito) (Comissão Paritária);
• Retirada da Entrega Matutina;
• Retirada da Homologação de Atestados Médicos;
• Controle Político partidário (proibição de manifestação política);
• Não emissão de CAT para Dirigentes Sindicais Liberados;
• Devolução dos custeios das despesas com CNH para os participantes do RI que desistirem da função no prazo de um ano.
• Implantação imediata do dimensionamento de carga, ou seja, mesmo feito de forma irregular, a empresa quer empurrar de qualquer maneira, reduzindo o número de carteiros em cada unidade;
• Restrição do registro das denúncias de casos de racismo, assédio moral e sexual (somente a vítima deve fazê-lo e por escrito na área de Relacionamento Organizacional);
É hora de darmos a resposta a todos esses ataques da empresa! Por isso a importância da participação de todos (as) os trabalhadores (as) na Assembleia. Vamos juntos dar um basta a toda retirada de direitos!


É PRECISO LOTAR A ASSEMBLEIA DIA 21 E DIZER UM GRANDE NÃO A ESSA PROPOSTA DE MAIS RETROCESSO À CATEGORIA!

#Todos (as) na Assembleia!
#Juntos somos mais fortes!

Diretoria Colegiada
SINTECT-GO

Leia mais ...

Trabalhadores (as) dos Correios em Goiás e em todo o país deflagram greve por tempo indeterminado

Em razão dos inúmeros ataques que os trabalhadores (as) dos Correios vem sofrendo e da intransigência da ECT em negociar, os 36 sindicatos da categoria decidiram, em amplo debate, unificar o calendário de lutas e realizar uma grande mobilização e greve nacional, a partir das 22 h de ontem (17). Em Goiás, cerca de 300 trabalhadores (as) participaram de Assembleia Geral para aprovação da greve e, em todo o país, cerca de 100 mil trabalhadores dos Correios deliberaram greve nacional em assembleias organizadas pelos sindicatos filiados.

  Os profissionais dos Correios vão parar as atividades por tempo indeterminado contra a retirada de direitos, contra a privatização da empresa e negligência com a saúde dos trabalhadores em relação à Covid-19. 

Por que estamos em greve nesse momento? 

  • Os trabalhadores (as) dos Correios vem sofrendo diversos ataques nos últimos anos, enfrentando o desmonte e o sucateamento da empresa claramente provocados para que a única saída seja a privatização; 

  • Desde o início da pandemia da Covid-19, esses ataques ficaram ainda mais graves, pois para oferecerem o básico para a garantia de saúde e proteção dos trabalhadores (as), a ECT precisou de liminar na Justiça e, muitas vezes, não seguiu a determinação;

  • Ao suspenderem o Acordo Coletivo, que valia por dois anos, obrigaram os trabalhadores (as) a realizarem um processo de negociação coletiva em plena pandemia;

  • O General Floriano Peixoto, presidente dos Correios, ainda apresentou uma proposta em que haverá a retirada de 70 cláusulas do atual Acordo Coletivo, acabando com os 30% do Adicional de Risco, Vale Alimentação, Auxílio Creche/Babá, 70% sobre férias, Licença Maternidade de 180 dias, entre outros. São direitos conquistados historicamente pelos trabalhadores (as) dos Correios. Houve ainda um aumento na participação dos planos de saúde, em detrimento da redução da participação da empresa. 

  Diante de tantos ataques e da ampla retirada de direitos por parte da ECT e do Governo Federal, e de tamanha negligência com a saúde e a integridade dos trabalhadores dos Correios, agora é greve! 

Leia mais ...

Reação ao fechamento de agências é tema do Informativo da Fentect

A luta contra o fechamento de agências, demissões e privatização dos Correios é tema do Informativo da Fentect de maio. O boletim faz um alerta à categoria e à população a respeito da necessidade de união contra o desmonte da Estatal e privatização.

"A luta é de todos! Para não pagar mais caro, para não ficar sem acesso e para não ser demitido, clientes e funcionários devem se unir contra o processo de privatização".

Confira o Informativo na íntegra, clique aqui.


Leia mais ...

Descaso com a categoria que está à mercê da violência e do sucateamento da estatal

Não é de hoje que vários vídeos estão circulando pela internet com imagens de carteiros sofrendo agressões nas ruas, vítimas da violência e da bandidagem. Os trabalhadores precisam lidar diariamente com o risco de assaltos, sequestros, roubos e até mesmo tiros, como aconteceu recentemente em Brasília. Insatisfeitos em apenas levar a carga, os bandidos agridem o trabalhador, que acaba desamparado e ainda precisa encarar a ECT para ter os direitos resguardados. A FENTECT repudia a insegurança colocada aos empregados dos Correios no Brasil e indaga a empresa até quando vai se preocupar mais com os patrocínios do que com a própria categoria de trabalhadores.

Para piorar a situação, um carteiro foi agredido, dia 16, por um morador, em Porto Velho (RO), enquanto cumpria com as obrigações da atividade. Ao tentar entregar carta em determinada região, o trabalhador foi ofendido e agredido a chutes e pontapés, ainda sob ameaça de levar um tiro do cidadão enfurecido. A violência, que começou e terminou sem sentido, foi interrompida pela população próxima e policiais militares.

Esse e outros tantos casos país afora demonstram, além da falta de segurança pública nas cidades, a ausência de investimentos por parte da gestão da estatal, para que as encomendas cheguem com segurança nas casas dos cidadãos e para os trabalhadores que realizam as entregas.

O sucateamento dos Correios, sem transporte adequado; com a sobrecarga de trabalho nos ombros dos carteiros, que estão cumprindo funções, em média, por até três trabalhadores, já que não há concursos e mais contratações; com a falta de estruturas também no próprio ambiente de trabalho e, para piorar, com acesso dificultado à assistência médica, demonstram o descaso com a categoria em pontos cruciais para o devido funcionamento da empresa que é de todos.

Além do problema da segurança, tudo isso é possível notar com as informações sobre unidades que estão sendo destruídas por incêndios, sem explicações, ou condições insalubres, também resultado de diversas denúncias dos trabalhadores e sindicatos, ignoradas pela empresa.

A FENTECT, junto aos 31 sindicatos filiados, continuará na defesa da categoria. As entidades representativas não vão se calar diante de todo desrespeito ao trabalhador e as retiradas de direitos que estão sendo promovidas, com interesse único e exclusivo de manchar a imagem dos Correios, para vender a ideia à sociedade de um caminho sem volta rumo à privatização.

Privatizar não é a solução, mas, sim, investir e valorizar, para que o serviço retorne ao patamar de qualidade, de uma das empresas mais elogiadas do Brasil. A única capaz de chegar aos mais de cinco mil municípios do país e manter o sigilo, o acesso e a integridade das informações.

Leia mais ...
Assinar este feed RSS