Tenha uma boa tarde! Hoje é Quarta, dia 12 de Agosto de 2020. Agora são 17:06:46 hs

Assembleia Geral Extraordinária: Greve Nacional para o dia 04 de Agosto

O SINTECT-GO convoca todos os trabalhadores (as) e filiados (as) para a Assembleia Geral Extraordinária, por meio de videoconferência, que será realizada na próxima terça-feira,04 de Agosto, a partir das 18h30. Na pauta da Assembleia estão os seguintes pontos: avaliação da Campanha Salarial e aprovação (ou não) de Greve a partir das 22 horas do mesmo dia (04/08). Essa Assembleia é resultado da decisão de mais de 200 trabalhadores (as) que recusaram a proposta da ECT, que apresenta a retirada de 70 cláusulas do atual Acordo Coletivo e aprovaram o estado e o indicativo de greve.

Após tantos ataques contra os Ecetistas, retirando direitos conquistados historicamente, negligenciando cuidados básicos de segurança e proteção aos trabalhadores (as) em tempos de grave pandemia da Covid-19 e ainda o desmonte explícito dos Correios com o pretexto de privatização, precisamos nos unir porque a luta será ainda mais dura. O Sindicato conta com a união e a mobilização de todos para vencermos mais essa batalha.

A Greve é fruto da intransigência da empresa e do Governo Federal em querer rasgar o Acordo Coletivo dos trabalhadores (as) em pleno período de pandemia!
O Governo  quer massacrar os trabalhadores dos Correios neste difícil momento para a sociedade brasileira e o mundo, mexendo em uma decisão que já estava pacificada com a sentença normativa que valia por dois anos!

Não aceitaremos e lutaremos pelos nossos direitos conquistados historicamente a duras penas! Por nenhum direito a menos, agora é greve!

 

#Vai ter luta!

#Agora é greve!

#Contra a retirada de direitos!

#Diga não à privatização!

#Pela vida!

#SINTECT-GO na luta sempre!

Diretoria Colegiada

SINTECT-GO

 

Leia mais ...

Assembleia Virtual Extraordinária: Indicativo de Greve!

Não são poucos os ataques sofridos pelos trabalhadores (as) dos Correios nos últimos anos e, após a pandemia da Covid-19, estão ainda mais intensificados. O Governo Bolsonaro juntamente com o presidente da empresa, General Floriano Peixoto, insistem em atacar todos os direitos conquistados historicamente pelos Ecetistas.

Nesse período de crise provocado pela pandemia do novo Coronavírus, a ECT negligenciou inúmeras medidas adotadas pela OMS para o combate e a prevenção da doença, além da insistência em discutir cláusulas do Acordo Coletivo que estavam garantidas a todos os trabalhadores (as) por 2 anos, mas que acabaram suspensas em razão de liminar concedida pelo STF.

As medidas de protocolo profilático desenvolvidas pela própria ECT só existem na teoria, na prática, para garantir o básico para os trabalhadores (as) tem sido necessário entrar com liminar na Justiça do Trabalho e, mesmo assim, a empresa ainda não cumpre as determinações e, quando cumpre, além da morosidade na realização da limpeza das Unidades infectadas, essa ainda é realizada de forma inadequada. Enquanto isso, o trabalhadores continuam realizando suas atividades em um ambiente inseguro, compartilhando inúmeros equipamentos de trabalho e a doença vai se alastrando cada dia mais. A empresa, além de omitir a existência de casos, ainda orienta os profissionais que não falem nada a respeito.

É notória a insistência do Governo e da empresa no desmonte dos Correios, seja na falta de estrutura e até investindo no desgaste de trabalhadores, por meio da precarização das relações de trabalho. A Campanha Salarial 2020/2021 tem uma missão ainda mais dura pela frente. O general Floriano Peixoto apresentou uma proposta em que haverá a retirada de 70 cláusulas do atual Acordo Coletivo, acabando com os 30% do Adicional de Risco, Auxílio Creche/Babá, 70% sobre férias entre outros. Um desrespeito escancarado com todos os trabalhadores (as).

Não podemos aceitar qualquer tipo de retirada de direitos conquistados com tanta luta por todos os trabalhadores e trabalhadoras. Direitos se ampliam e não se retiram. Precisamos nos unir para uma grande mobilização contra a agenda de privatizações do Governo e o desmonte da empresa, que vem sendo desenvolvido dia após dia.

Em vista de tudo isso, o SINTECT-GO convoca todos os filiados para a realização de Assembleia Geral Extraordinária, que ocorrerá no dia 28 de Julho, a partir das 19h30, por meio de videoconferência. Além de avaliação sobre a proposta apresentada pela empresa e tudo o que vem sendo realizado contra os trabalhadores (as), também realizaremos votação para aprovação ou não do Estado de Greve, que possui indicativo, por meio de Mobilização Nacional, para o dia 04 de Agosto, a partir das 22 horas.

O link para participação na videoconferência será enviado aos filiados por meio de email e whatsapp no sábado, 25/07. Precisamos, mais do que nunca, estarmos unidos contra todos esses ataques! Esse é o momento de lutarmos pelos Correios e por tudo o que ele representa: empregos, cidadania, soberania, desenvolvimento, segurança e integração nacional.

Vai ter luta!

Contra o projeto de privatização de Paulo Guedes e Bolsonaro!

Avante Companheiros! Querem te deixar na miséria! 

 

Diretoria Colegiada

SINTECT-GO

 

Leia mais ...

Mais trabalhadores dos Correios em Goiás infectados com a Covid-19

   Os trabalhadores(as) dos Correios em Goiás não aguentam mais tamanho descaso e negligência por parte da SE/GO. A empresa insiste em afirmar que está cumprindo o protocolo de profilaxia, mas os casos de Covid -19 nas Unidades dos Correios em Goiás só vem se alastrando. Isso só mostra que o tal protocolo que ela afirma cumprir e as medidas de distanciamento social não tem sido, de fato, praticados de forma efetiva.
   Nas últimas semanas, novos casos também surgiram nos CEE’s, CTCE, CDD’s Trindade, Guanabara, Catalão, Marechal Rondon, Pedro Ludovico e, agora, dois novos casos foram confirmados, mais uma vez, no CDD Goiânia. Esses são os que chegaram ao conhecimento do Sindicato, pois a empresa omite e esconde os casos e tem orientado os trabalhadores a não falar.
   No fim do mês passado saiu liminar da Justiça do Trabalho para o CDD Goiânia determinando a testagem e o afastamento de todos os trabalhadores da Unidade em razão de outros casos ocorridos no local. A SE/GO não cumpriu com a determinação e entrou com mandado de segurança contra a liminar. Enquanto isso, os trabalhadores permanecem realizando atividades em um ambiente sem uma limpeza efetiva e ainda compartilhando inúmeros equipamentos de trabalho como bicicletas, motos, carrinhos, mesas, escaninhos e computadores. A empresa, quando cumpre o protocolo profilático, cumpre realizando uma limpeza de forma inadequada. O risco não é apenas para os trabalhadores(as), mas para toda a sociedade, pois esses profissionais acabam tornando-se também transmissores da doença.
   O SINTECT-GO vem há meses denunciando os inúmeros trabalhadores(as) que estão se contaminando com o novo Coronavírus nos Correios em Goiás e as dificuldades enfrentadas para garantir o mínimo de segurança e proteção na realização das atividades. O Sindicato continuará na luta e conta com o apoio de todos os trabalhadores e trabalhadoras para que denunciem a omissão da empresa diante da suspeita e confirmação de casos de Covid-19 nas Unidades.
   Para que a vida, a integridade física e o não contágio ao novo Coronavírus possam ser garantidos aos trabalhadores (as) dos Correios, estes terão que partir para a Greve Ambiental, que é o direito em se recusar a exercer atividades em um local que apresenta condições inadequadas de trabalho, oferecendo, assim, risco à saúde e à vida de cada trabalhador e trabalhadora.

Greve Ambiental já!
Pela Vida! Não à morte!

Diretoria Colegiada
SINTECT-GO

Leia mais ...

Campanha Salarial 2020/2021: Não podemos permitir mais ataques contra os trabalhadores!

   Os trabalhadores (as) dos Correios vem sofrendo diversos ataques nos últimos anos e, desde o início da pandemia da Covid-19, estes ficaram ainda mais graves. A ECT age de forma negligente, omitindo dados de quantos trabalhadores já foram contaminados pelo novo Coronavírus e não vem garantindo medidas protetivas aos profissionais nem por meio de determinação da Justiça do Trabalho.

   E agora, diante da Campanha Salarial 2020/2021, os Correios e o governo Bolsonaro insistem em retirar direitos e benefícios dos trabalhadores para preparar o terreno para a privatização. Em meio à pandemia do novo Coronavírus a empresa quer discutir cláusulas do Acordo Coletivo, que já estavam garantidas por dois anos, mas que por meio de liminar concedida pelo STF, a pedido da ECT, foram suspensas. Claramente um golpe para o processo de desmonte da empresa e sua privatização.

   A ECT insiste em afirmar que não existe viabilidade econômica para atender às reinvindicações dos trabalhadores, sendo que houve um aumento exponencial no fluxo de encomendas e em outros serviços prestados pelos Correios, resultando em sobrecarga de trabalho para muitos profissionais. A empresa ainda apresentou uma proposta de exclusão de 70 cláusulas que só prejudicam os trabalhadores Ecetistas.

   É preciso uma grande mobilização de todos os trabalhadores e trabalhadoras nesse momento, pois a Campanha Salarial será uma batalha ainda mais dura. O governo Bolsonaro juntamente com a ECT seguem determinados a destruir todos os direitos conquistados historicamente pelos trabalhadores dos Correios para privatizar essa empresa que representa a Soberania Nacional, como prometeu em Campanha Eleitoral.

   Trabalhador se prepare para a mobilização e a união de forças para garantir nossos empregos, direitos e a nossa integridade física e segurança na realização do nosso trabalho. Delegados Sindicais fiquem atentos, pois o SINTECT-GO entrará em contato com cada um (a) para organizarmos nossa mobilização rumo a maior Greve Nacional desta categoria em defesa de nossos direitos e empregos. A Diretora Sindical Dirlene Ferreira será a representante do SINTECT-GO no Comando Nacional de Negociação e Mobilização.

 

#Não à privatização!

#Fora Bolsonaro!

#Até quando ECT?

#Pelos nossos direitos e pela vida!

 

Diretoria Colegiada

SINTECT-GO

Leia mais ...

Mais um trabalhador dos Correios infectado com a Covid-19

Uma nova testagem positiva para a Covid-19 entre os trabalhadores (as) dos Correios em Goiás. Dessa vez a confirmação veio do CDD Guanabara. Além dessa Unidade com um trabalhador testado positivo, outras duas Unidades em Goiânia também já apresentam casos confirmados.

Até o momento, a empresa não realizou a testagem de todos os trabalhadores da Unidade, apenas afastou o trabalhador confirmado positivo e os outros dois que atuam ao lado dele e fizeram uma limpeza “meia boca” conforme relatos. De nada adianta uma limpeza para colocarem as mesmas pessoas, sem testarem para saber se estão contaminadas ou não, mas segundo a empresa está cumprindo na íntegra o seu protocolo profilático.

Seguindo a linha Bolsonarista de negação da pandemia e do alto poder de contágio e gravidade que é o novo Coronavírus, os gestores dos Correios, além de chamarem de volta do isolamento social os trabalhadores que coabitam com o grupo de risco, insistem em não testar todo mundo e chamar para o trabalho naquele mesmo ambiente, após desinfecção, somente os que testarem negativo.

Esta é uma forma de “fazer de conta” que está desenvolvendo uma política contra o vírus, contra a pandemia e negligenciar o cuidado e o zelo com a vida dos trabalhadores (as) e toda a sociedade que tem contato com esses profissionais. Uma verdadeira política de faz de conta. E ainda dizem estarem seguindo as recomendações da OMS.

O SINTECT-GO continua cobrando da SE/GO que se feche a Unidade para desinfecção, realize a testagem de todos da Unidade e que retornem ao trabalho somente aqueles testados negativos com laudo em mãos. Há indícios de que está havendo a omissão de casos de contaminação. Várias denúncias de trabalhadores tem chegado a este Sindicato.

 

Chega de negligenciar a Covid-19!

Trabalhador denuncie!

 

Diretoria Colegiada

SINTECT-GO

Leia mais ...

SINTECT-GO orienta filiados e demais trabalhadores ao acesso à Central de Relacionamento

Com a necessidade de organizar o sistema cadastral dos filiados, o SINTECT-GO orienta a todos que acessem o site da Instituição e, por meio da Central de Relacionamento, atualizem seus dados, facilitando e ampliando a comunicação do Sindicato com seus representados. Queremos antecipar esta atualização para garantir não só o acesso amplo dos filiados no resultado dos seus processos, bem como no momento de finalização da demanda processual não existam dificuldades em apresentar aos Tribunais a qualificação exigida pela Justiça e termos uma comunicação mais rápida, por isso precisamos urgentemente garantir que os dados sejam válidos.

E você que ainda não é filiado aproveite para também se cadastrar junto à Instituição e fortalecer ainda mais a luta dos trabalhadores seguindo o mesmo caminho orientado aos filiados.

 

Clique aqui e veja o passo a passo de acesso à Central de Relacionamento

 

Leia mais ...

Vitória dos Trabalhadores: SINTECT-GO consegue liminar na Justiça do Trabalho garantindo proteção aos funcionários do CDD Catalão

O Sindicato dos Trabalhadores dos Correios em Goiás - SINTECT- GO denuncia diariamente o descaso da ECT/SE-GO com os trabalhadores (as) de sua base nesse período de pandemia do Covid-19. Só no CDD de Catalão, em menos de uma semana foram 3 trabalhadores infectados e, mesmo assim, a empresa vem tratando cada vez mais esse problema como uma “gripezinha”.

Além de não cumprir com o protocolo profilático que ela mesma enfatiza em seus canais de comunicação, não responde nossos Ofícios cobrando providências de proteção e segurança para esses trabalhadores de Catalão e ainda convoca os outros funcionários não infectados para retornarem normalmente às atividades. Não obtemos nenhum tipo de resposta da ECT e, mais uma vez, tivemos que entrar com uma liminar que possa garantir a integridade física e um ambiente de trabalho sem risco de morte para os Ecetistas.

De acordo com a liminar expedida pelo Juiz do Trabalho Substituto da Vara de Catalão, Luiz Gustavo de Souza Alves, fica proibida a convocação para retorno ao trabalho na Unidade de Catalão nos próximos 15 dias de qualquer trabalhador que lá tenha estado nos últimos 15 dias, salvo se apresentar exame com resultado negativo para o Covid-19, sob pena de multa de R$100.000,00. A empresa deverá arcar com todos os custos caso seja determinada a realização do exame. Segundo o juiz, é dever da ECT fornecer todos os equipamentos necessários para a prevenção do contágio na realização das atividades diárias no CDD, inclusive a higienização do local.

Este Sindicato tem lutado incansavelmente na defesa dos trabalhadores desta categoria em todas as esferas contra o Covid-19 e tem desmentido os inoperantes gestores que negam esta doença cruel para cumprir à risca as ordens do General Floriano Peixoto (Presidente dos Correios) e do capitão Bolsonaro.

A terra não é plana e o Covid mata! Perdemos nove Ecetistas para o Coronavírus e já são mais de 200 contaminados nos Correios!

Não é só uma gripezinha!

SINTECT-GO na luta sempre

Diretoria Colegiada Unidade, Resistência e Luta

 

Leia mais ...

AADC e Periculosidade: SINTECT-GO alerta trabalhadores (as)

O Sindicato dos Trabalhadores dos Correios de Goiás – SINTECT-GO adverte sobre o perigo de golpes realizados contra os trabalhadores (as) dos Correios.  Um grupo de advogados de São Paulo vem entrando em contato com empregados em Goiás que realizam atividade de carteiro motorizado e que aguardam julgamento do Incidente de Recurso Repetitivo (IRR) do Tribunal Superior do Trabalho (TST) sobre o processo de acumulação do Adicional de Atividade de Distribuição e/ou Coleta Externa (AADC) e do Adicional de Periculosidade do carteiro motorizado.

Esse grupo vem tentando ludibriar esses funcionários com falsas promessas de facilitação do processo no Judiciário ou propositura de ação individual. O SINTECT-GO alerta a todos os trabalhadores que não é preciso nenhum tipo de ação individual sobre esse tema, uma vez que já existem ações coletivas promovidas pelo Sintect/GO e pela Federação e basta aguardar o TST julgar o IRR e, posteriormente, o Sindicato entrará em contato com os trabalhadores para promover a execução, caso o TST determine o pagamento acumulado do AADC e do adicional de periculosidade.

Lembrando que após a reforma trabalhista, se o empregado vier a perder o processo individual terá que pagar custas e honorários aos advogados da empresa, e são valores altos. Assim, o adequado é que entes sindicais promovam a ação coletiva e se ela for procedente, aí sim, o trabalhador fará a execução da sentença, mas agora sem o risco de perder a causa e pagar as despesas do processo.

Qualquer dúvida é só entrar em contato com o Sindicato pelo telefone: 62 3280-4415.

Leia mais ...

Carteiro de Catalão testa positivo para a Covid-19

Um carteiro de Catalão, a 262 km de Goiânia, confirmou nesta semana ter contraído o Covid-19. De acordo com informações de colegas de trabalho, o profissional está de quarentena em casa, mas teve contato com outros carteiros e, inclusive, realizou a entrega de inúmeras cartas e encomendas após ter contraído o vírus. O CDD de Catalão só foi limpado e desinfectado no final da tarde de ontem, 21.

Desde o conhecimento do caso, o Sintect-GO está cobrando da ECT/SE-GO as providências necessárias para garantir a segurança dos trabalhadores (as) deste CDD em Catalão, para a realização da limpeza imediata do local, a desinfecção e a testagem de todos os funcionários da Unidade como medida profilática sem compartilhamento do plano de saúde, a liberação dos profissionais para trabalho remoto e o fechamento da Unidade.

O Sindicato vem trabalhando incansavelmente para garantir a proteção e segurança dos trabalhadores (as) dos Correios possibilitando o acesso aos itens de proteção (como máscara e álcool em gel), que foram garantidos de maneira legal após liminar expedida pela justiça e também luta para assegurar que os funcionários que façam parte do grupo de risco (lactantes, grávidas, portadores de doenças crônicas, hipertensos, idosos) e com filhos em idade escolar ou inferior e os que coabitam com estes, permaneçam em trabalho remoto.

O Sintect-GO também procura, frequentemente, conscientizar esses trabalhadores (as) para os perigos da contaminação com o Coronavírus e da importância da utilização dos materiais que garantem a proteção e a segurança durante a realização das atividades e também vem seguindo todos os protocolos divulgados pela ECT no informativo “Primeira Hora”.

Os procedimentos que foram divulgados pela empresa seguem indicando que, em caso de contaminação de um empregado, a liberação para a quarentena recairá para os empregados que trabalharem próximo a ele nos seguintes casos: nas Unidades administrativas ficarão afastados os empregados que trabalham no mesmo ambiente físico da Unidade. Nas agências, CDD’s e CEE’s ficará afastado todo o efetivo. Já nas Unidades que funcionam com mais de um turno, ficará afastado todo o efetivo daquele turno onde o empregado estiver infectado.

Para todos esses casos a Unidade estará liberada para uma nova equipe ou novo turno apenas após a assepsia do ambiente. A recomendação final da área técnica de saúde é que, diante da velocidade de propagação do Coronavírus, a Empresa busque novas ações para a não disseminação do vírus.

O Sindicato continuará na luta tomando outras medidas judiciais e greve ambiental para que a empresa garanta um ambiente de trabalho seguro e sem riscos à integridade física dos trabalhadores e à vida.

                                                                                  Exigimos que a empresa cumpra minimamente o seu protocolo profilático!

Pela vida! Não à morte!

Sintect-GO na luta sempre!

Leia mais ...

Fim do Ministério do Trabalho: você será prejudicado?

Jair Bolsonaro afirmou na tarde desta quarta-feira, 7, que irá incorporar o Ministério do Trabalho “a algum ministério”, contudo, não informou qual. Com esta extinção, os trabalhadores serão os mais prejudicados, pois não haverá mais fiscalização para assegurar às mínimas condições de trabalho e a proteção trabalhista.

O Ministério do Trabalho foi criado em 1930 e regula, entre outras coisas, a política e diretrizes para a geração de emprego e renda, viabiliza o acesso a serviços e benefícios (registro profissional, seguro-desemprego, emissão de carteira de trabalho, abono salarial), fiscaliza as relações de trabalho e a aplicação das sanções previstas em normas legais e coletivas, fiscaliza o cumprimento das leis trabalhistas, gere o FGTS e o Sistema Nacional de Emprego (SINE).

Sem um Ministério especifico para as relações de trabalho, o governo vai garantir apoio e recursos para que continue existindo fiscalizações para checar as condições mínimas de trabalho, saúde e segurança? Continuará combatendo o trabalho escravo e o trabalho análogo a escravidão? Continuará indo até as empresas para apurar as denuncias dos trabalhadores? Aliás, continuará ouvindo as denuncias dos trabalhadores? Continuará havendo aplicação de multas para as empresas que utilizarem trabalho escravo ou trabalho infantil? Os empregadores continuarão cumprindo as leis trabalhistas por pura “boa vontade”? E como fica o Acordo Coletivo de Trabalho das categorias? Haverá negociação com as empresas em época de Campanha Salarial?

Quem o presidente eleito quer favorecer com essa decisão? Os mais de 13 milhões de desempregados e os 43% dos trabalhadores na informalidade? Ou os empresários?

Leia mais ...
Assinar este feed RSS