Tenha uma boa noite! Hoje é Quarta, dia 12 de Agosto de 2020. Agora são 18:00:36 hs

SINTECT-GO consegue novamente na Justiça proteção para os trabalhadores dos Correios

Desde o início do mês do Junho, o SINTECT-GO vem divulgando uma sequência de casos confirmados de Covid-19 entre os trabalhadores dos Correios, na Região Metropolitana de Goiânia. Já são oito testados positivo até então e a mesma dificuldade em solucionar a questão com a ECT, mas o Sindicato acaba de conseguir três liminares que garantem a segurança dos profissionais lotados nos Centros de Distribuição Domiciliar (CDD’s) Liberdade, Goiânia e no Centro de Encomendas Especiais (CEE) Esmeralda, situado no complexo operacional na Vila Brasília em Aparecida de Goiânia. 

De acordo com o Juiz do Trabalho, Ronie Carlos Bento de Sousa, a atividade dos Correios é essencial e essas medidas não estão ligadas apenas à saúde dos Ecetistas, mas também de toda a população. O juiz determinou que, para o CDD Goiânia, a ECT deverá realizar a testagem imediata de todos os trabalhadores da Unidade para detecção do vírus, retornando ao trabalho os que testarem negativo e mantendo o afastamento por sete dias os que testarem positivo.
No CEE Esmeralda, a Juiza do Trabalho Karina Lima de Queiroz, determinou afastar imediatamente os trabalhadores lotados na Unidade por 14 dias para realização de trabalho remoto, promover a higienização do local e de materiais de trabalho e também a testagem dos trabalhadores do local. A multa diária para descumprimento da medida é de R$10.000,00.

Já no CDD Liberdade, onde muitos trabalhadores apresentaram suspeita de contaminação após contato direto com o profissional testado positivo, o juiz do trabalho José Luciano Leonel de Carvalho, determinou o afastamento imediato para trabalho remoto, por dez dias, de 70% da força de trabalho deste CDD, incluindo todos os que fazem parte do grupo de risco. Os 30% restantes continuarão prestando os serviços no local, em razão da essencialidade da atividade postal, mas apenas após a desinfecção de todo o CDD e também dos equipamentos de trabalho. A realização de testagem de todos os trabalhadores da Unidade também é uma determinação da liminar. Caso haja descumprimento, a multa diária para a empresa é de R$20.000,00.

Essa é mais uma vitória de todos os trabalhadores dos Correios, resultado de luta constante do SINTECT-GO para garantir a saúde e a integridade física de todos os profissionais, que realizam essa atividade tão essencial para toda a população brasileira. O Sindicato continuará lutando pela vida de todos os trabalhadores e seus familiares neste período de pandemia da Covid-19. Sabemos também, que, nacionalmente, a empresa vem descumprindo liminares da justiça num total descompromisso com a saúde e vida dos trabalhadores (as), dessa forma, o SINTECT-GO já orienta caso haja descumprimento, vamos partir para “greve ambiental”, que é previsto e reconhecida por lei e pela OIT, quando o ambiente de trabalho representa risco à integridade física e a vida do trabalhador. Já vamos pensar e amadurecer o nosso pensamento para esse enfrentamento que se fará necessário!

Em defesa da saúde e da vida!
SINTECT-GO na luta sempre!

 

Clique aqui e leia a liminar do CDD Liberdade

Clique aqui e leia a liminar do CDD Goiânia

Clique aqui e leia a liminar do CEE Esmeralda 

Leia mais ...

CDD Marechal Rondon fica alagado após chuvas fortes

 

O CDD Marechal Rondon, localizado na Vila Nossa Senhora Aparecida, ficou completamente alagado após o Ribeirão Anicuns transbordar com a forte chuva que atingiu Goiânia na última terça-feira, 19 de janeiro.  Com a inundação, o CDD Marechal Rondon foi transferido para o CDD Guanabara.

Assista vídeo do CDD Marechal Rondon

Há tempos os trabalhadores reivindicam melhores condições de trabalho e mudança para um novo prédio. No dia 10 de novembro de 2015 foi realizado uma Assembleia no CDD para os trabalhadores deliberarem sobre uma paralização por 24h. O ASGET dos Correios estava presente e fez um acordo com os trabalhadores, e, em nome da empresa, se comprometeu a agilizar a melhoria no sistema de refrigeração, e em relação ao espaço para as motos, mas não se pronunciou sobre a mudança para o novo prédio. Assim, os trabalhadores decidiram por não paralisar.

A inundação também foi mencionada no Bom Dia Goiás, da TV Anhanguera, do dia 20 de janeiro, assista aqui.

 

Problema antigo

O CDD Marechal Rondon funciona há oito anos em um prédio antigo, onde falta espaço interno para guardar as bicicletas e motos. Os trabalhadores também sofrem com a climatização, pois a unidade conta com quatro aparelhos de ar condicionado que não funcionam direito, e são insuficientes para refrigerar todo o ambiente. Também faltam equipamentos de uso e proteção ao empregado, principalmente botas para os carteiros motociclistas.

Além de estar localizado em uma avenida muito movimentada, onde o risco de acidentes é eminente, o CDD marechal Rondon também se encontra próximo à baixada do Córrego Anicuns, em uma área de preservação ambiental, e por isso é comum os trabalhadores encontrarem animais silvestres, como cobras, gambá e guaxinim, no prédio.

 

Confira abaixo os Ofícios

Edital

 

Autoria: Laryssa Machado - Assessoria de Comunicação SINTECT-GO

Leia mais ...

Trabalhadores do CDD Marechal Rondon poderão paralisar suas atividades no dia 10

 

Reivindicando melhores condições de trabalho e transferência da unidade para um prédio novo, os trabalhadores do CDD Marechal Rondon poderão paralisar suas atividades durante 24h no próximo dia 10 de novembro de 2015, a partir das 8h30min.

Os trabalhadores do CDD Marechal Rondon reclamam principalmente da falta de estrutura física da unidade. O CDD funciona há oito anos em um prédio localizado na Avenida Marechal Rondon, Vila Nossa Senhora Aparecida, que não atende as exigências de Segurança do Trabalho. Falta espaço interno, e por conta disso as bicicletas e motos ficam amontoadas. A cozinha é um cubículo e a unidade não possui refeitório, para almoçar os trabalhadores se revezam em uma mesa de seis lugares.

 

A cozinha é pequena em relação à quantidade de trabalhadoresA cozinha é pequena em relação à quantidade de trabalhadores

Os ecetistas também sofrem com a climatização, pois a unidade conta com apenas quatro aparelhos de ar condicionado, que, além de não funcionarem direito, é insuficiente para atender todo o ambiente. Além disso, as instalações sanitárias são bastante precárias, os trabalhadores contam com apenas dois vasos sanitários e um mictório, que se encontra interditado.  O banheiro feminino tornou-se um depósito, e o outro banheiro que havia na unidade está apinhado de motos. Também faltam equipamentos de uso e proteção ao empregado, principalmente botas para os carteiros motociclistas. Os trabalhadores ainda reivindicam pelo menos três motos modelo Bros em substituição ao modelo utilizado.

Além de estar localizado em uma avenida muito movimentada, onde o risco de acidentes é eminente, o CDD Marechal Rondon também se encontra próximo à baixada do Córrego Anicuns, em uma área de preservação ambiental. É comum os trabalhadores encontrarem animais silvestres, como cobras, gambá e guaxinim, no prédio.

A situação do CDD Marechal Rondon não é desconhecida da DR/GO, uma vez que o SINTECT-GO tem requerido providências, em nome dos trabalhadores, constantemente. No último dia 28 de outubro a condição da unidade foi tema de uma reunião entre o Sindicato e o Diretor da DR/GO . Na ocasião, foi informada a pretensão dos trabalhadores em paralisar as atividades. O SINTECT-GO também se comprometeu a tomar as providências necessárias caso os problemas na unidade não seja resolvidos.

 Sede do CDD

 

Autoria: Laryssa Machado - Assessoria de Comunicação SINTECT-GO

Leia mais ...
Assinar este feed RSS